quinta-feira, 20 de outubro de 2011

BENDITAS CONEXÕES

     Os olhos estavam fitos na estrada, mas os pensamentos roçavam as nuvens. Enquanto os pneus agradeciam o novo asfalto da BR 429 e a viagem era embalada pelo som abrasileirado do saxofonista francês, Idriss Boudrioua, minha reflexão tomava como ponto de partida o título do trabalho musical deste instrumentista.
     Há vinte cinco anos realizando essas parcerias com artistas brasileiros, Idriss lançou em 2004 o disco “Paris-Rio”. Na capa, o virtuose apenas atravessa uma avenida imaginária que divide os dois países. De um lado, morros, botequins, metrô e Cristo Redentor refletem a cidade maravilhosa; do outro, bares, bistrôs e a Torre Eiffel evidenciam a cultura francesa. Tudo isso deflagrou a importância das conexões, assim tem sido boa parte da minha trajetória profissional como professor.
     Nesses quase vinte anos de ofício, muitas foram as conectividades. Algumas realizadas no Estado do Matogrosso do Sul. Criei mentalmente a capa da minha história de ensino. Campo Grande fundindo-se com Sidrolândia, Camapuã, Bela Vista, Jardim e Bonito. Agora esta avenida abstrata encontra-se na cidade de Presidente Médici, interligada à outra interiorana rondoniense, a pacata Alvorada do Oeste. Ali, outras experiências foram acrescentadas no convívio com alguns alunos da Escola Santa Ana, entre os meses de julho e outubro de 2011. Algumas cenas ficaram registradas: Abdiel e suas brincadeiras com as redações que produzia, sustentando seus convencimentos exagerados; Luciana e sua fome, não só de aprendizado, mas pelas guloseimas da cantina; Lilian pelo jeito discreto, mineiro, conseguindo a melhor pontuação no primeiro simulado; Edinon e sua calma em aprender, ensinando-me com o seu silêncio; João Carlos, sempre munido de simpatia e espontaneidade; Helen e Caroline com suas extravagantes atitudes, sempre exalando toda energia peculiar da juventude; Abraão e seu sotaque nordestino, trazendo ares sergipanos para a sala de aula; Gisele, Élida e Luanny, disputando o domínio dos conteúdos, que apesar da tenra idade, já demonstram competência e seriedade. Marilete, Favíola, Nicolas, Patrícia, Luana, Carlos, Liliana, Vicente, Adriana, Jackson, Katiully, Jéssica e as duas Simones, enfim, todos contribuíram para que ampliasse o meu universo. Isso sem contar a extraordinária receptividade proporcionada pelo Nivaldo, Diretor da escola onde tudo isso aconteceu. É tanto, que até fiz parte da festa de comemoração dedicada aos funcionários, regada à muita música regional e ao carneiro de tempero inesquecível.
     Nessas andanças, em veredas tão diversificadas, só resta agradecer a Deus por ter me agraciado com esta sublime profissão, servindo de ponte para que novas experiências fossem inseridas na minha vida, alargando as fronteiras do conhecimento.