sexta-feira, 3 de junho de 2016

ABDUZIDO

           Para pedras parecerem plumas, o processo trabalhoso de mudança se desenrolava com o porta-malas erguido, destilando sons homéricos de cancioneiros da Música Popular Brasileira e inserções jazzísticas que fluíam potentes do meu pioneer.
          O ambiente transformou-se em estúdio particular e, por vezes, pista de dança que deixavam a tarde muito mais harmoniosa. Era um olho na lida e outro nos transeuntes que passavam rente à garagem. Caras contorcidas, testas franzidas, narizes tentando alçar voos, lábios cerrados, sussurros incompreensíveis, sibilos denunciando a vontade de abater-me como presa, múltiplos sentimentos avolumavam-se na face rubra dos passantes. Isso não era fruto de uma atitude vingativa, a fim de dar o troco aos infortúnios causados por essa gente que me cerca continuamente com seus massacres sonoros, apenas um convite ao prazer e à degustação.
            De repente, o pintor surgiu para continuar seu trabalho. Parou por alguns minutos, coçou parte da cabeça coberta por um boné chapiscado de tinta e como se estivesse sido atacado por um enxame de vespas, mais rápido que as escalas do sax tenor de Michael Brecker que ecoavam do improviso absorvido por minha grata audição, largou seus apetrechos e desistiu da façanha, fazendo-me lembrar de um caronista que certa vez só não pulou do carro porque a longa distância era muito mais ameaçadora.
        Por várias vezes tive o pressentimento de que eles imaginavam um disco voador baixando no quintal, a fim de me abduzir, tamanha era a sensação de assombro que cercava a cena. O que eles não sabiam, era que eu não estava ali, há muito tempo já fui abduzido pela arte. Na verdade, sou uma lenda ou nem existo, sou um Homo OVNI, uma estranheza necessária para continuar sobrevivendo nesta terra tão carente do meu mundo.

2 comentários:

  1. Bonito, porém pareceu-me uma complementação do anterior, que logicamente não o invalida. Parabéns. Abração.

    ResponderExcluir
  2. Bonito, porém pareceu-me uma complementação do anterior, que logicamente não o invalida. Parabéns. Abração.

    ResponderExcluir